Tecnicamente, o filme de Darren Aronofsky chama-se π, mas chamemo-lo Pi, a constante matemática que designa a razão entre o perímetro e o diâmetro de uma circunferência. A obsessão de Max Cohen, um Judeu que quer descobrir a ordem nos números e todo o submundo da busca obsessiva, é auxiliado pelo modo de filmar, que a imagem abaixo demonstra, todo a preto e branco, um mundo binário visto através de números. Há poucos filmes tão excitantes, pondo o espectador no centro da acção com a música e o entrosamento com as imagens, num mundo ilusório, mas incrível. A par com L'Antena uma pérola moderna filmada a preto-e-branco, com algo de thriller e conspiração à mistura.

Comments (2)

On 23 de novembro de 2009 às 00:21 , Victor Afonso disse...

É o segundo melhor filme de Aronofsky. O primeiro é "Requiem for a Dream".

 
On 23 de novembro de 2009 às 05:50 , Anagrama Orgânico disse...

Eheh eu acho que prefiro este, mas claro que percebo a opinião. ;) Abraço!