É uma sensação óptima descobrir um grande pedaço de cinema que desconhecíamos. Realizado por Sidney Lumet em 1957, 12 Angry Men começa na sala de audiências de um tribunal, com o final do julgamento, para o júri do homicídio deliberar. Se decidirem que o rapaz é culpado de matar o pai, ele vai para a cadeira eléctrica. É preciso os 12 votarem para ele ser condenado, mas há um dos membros do júri que acredita que ele é inocente, ou pelo menos que merece que eles discutam o caso pois teve uma vida difícil e o poder deles sobre o seu destino não devia ser tomado de forma levianda. Cada um começa a dar a sua impressão sob o caso, sempre impregnada com os seus passados e aquilo que viveram. No fim, todos dão o rapaz como inocente, apesar de tal como o título indica, as emoções se exaltarem.
Tirando a cena inicial do fim do julgamento, é todo passado na sala do júri, com uma progressão empolgante. É um filme muito inteligente, de topo mesmo.

Comments (3)

On 25 de janeiro de 2010 às 22:09 , LiMpA_ViAs disse...

Filme que fiquei a conhecer devido à cadeira de Comportamento Organizacional! Tal como disseste, filme de topo mesmo!

 
On 4 de fevereiro de 2010 às 04:39 , Ultraviolence disse...

Damnnn não há para sacar no torrentz :(

vê o que podes fazer em relação a isso :) heheh

(mocas)


Cheers.

 
On 4 de fevereiro de 2010 às 19:18 , Anagrama Orgânico disse...

Eheh bem porreiro Limpa_Vias!

Ultraviolence, já te encaminhei por outros caminhos.