Fosse eu a decidir, e havia Oscars para Mary & Max. Postas as coisas de forma simples, a haver um filme que eu recomendaria desta década, esta produção Australiana seria uma das mais audíveis. Uma das peças de cinema mais inventivas que já vi conta a história de uma amizade transatlântica entre a solitária Mary na Austrália, e Max, um Nova Iorquino que gosta demasiado de comer. A paleta de cores, a atenção aos pormenores, a forma como a animação consegue ser tão sóbria e adulta, é tudo um encanto. Junte-se os bonecos perfeitos às vozes ternas do narrador e do brilhante Philip Seymour Hoffman, e tem-se um dos filmes mais inventivos de sempre. Sim, é assim tão bom.

Comments (2)

On 10 de fevereiro de 2010 às 10:37 , WALKtheWALK disse...

já tinha ouvido falar (inevitavelmente,visto estar a estagiar num festival de cinema de animação), mas com esta review fiquei convencido a ver isto. espero que seja mesmo assim tão bom, porque eu com animação sou exigente lol.

 
On 10 de fevereiro de 2010 às 22:23 , Anagrama Orgânico disse...

Não engana! :P