Menos de 10 anos depois da morte de Jean-Michel Basquiat, saiu este filme homónimo.
Vou resumir a história. Ao aproximar-se o final do milénio, alguém reparou que nunca tinha havido um pintor negro famoso. Então, por algum favor desconhecido (era namorado de Madonna...), alguém desencantou um drogado que prontamente ocupou o lugar sem saber. Por acaso vendeu uns desenhos ao Andy Warhol e viu-se cheio de dinheiro num apíce. Claro que histórias como estas, há muitas. No entanto, ele morreu de overdose, e estava feita a história que era preciso. Quanto ao estilo, básico e primitivo. Mesmo a jeito para quem come o que lhe põem à frente.
O filme de 1996 é decente, foca-se principalmente na relação de Basquiat com Andy Warhol. Jeffrey Wright como Basquiat é muito bom, mas David Bowie como Andy Warhol é ainda melhor.

Comments (1)

On 17 de fevereiro de 2010 às 09:07 , WALKtheWALK disse...

por acaso do pouco que conheço do Basquiat leva-me a concordar...é primitivo e nada de especial. desconhecia este filme, talvez saque um dia destes.