Horizontes de Glória, o filme antes de Spartacus e de Dr. Strangelove, é um filme fantástico, cujo esplendor se deve atribuir tanto a Stanley Kubrick como ao Kirk Douglas. Este último é o oficial que desavia os poderes instituídos, tanto contra o general maior, como ao defender o destino de três soldados condenados sumariamente à morte, por um suposto acto de cobardia, quando eles receberam ordens para atacarem uma coluna impenetrável e se submeteram a levar com fogo amistoso.
O final, inexistente no livro de onde é adaptado, visa dar um sinal de esperança, na voz feminina que controla os soldados. Um realizador que não sabe fazer mau.

Comments (1)

On 1 de julho de 2009 às 09:29 , Victor Afonso disse...

É isso: um realizador que não fez filmes "menores".