Não sou pessoa para criticar pessoas que tentam arranjar maneiras para se safarem, no entanto, acho que isto é um bocado demais. Suicide Girls Guide To Living são 12 lições/sets introduzidos por uma das raparigas, meia duzia de tipas com quem ninguém queria falar na primária a darem uma lição sobre as coisas desinteressantes que fazem. Inclui também a conversa habitual sobre como é difícil e doloroso ser aceite com tatuagens, e algumas explicações porque não são aceites em trabalhos normais como modelo. Se fossem elas as artistas, percebia que quisessem falar delas, mas o mérito está sentarem-se numa cadeira? Alguém que já tenha lidado com alguma delas sabe quais são as motivações por trás disto, mas tal como disse, se me dissessem que ao darem-me um saxofone alto para as mãos, eu podia tocar numa banda de jazz se o fizesse nú, mesmo não sabendo tocar, eu não o fazia. Mas havia alguém com bastante tempo livre e sem objectivos que ia encontrar nisso um propósito para a vida. O que acaba por ser o que se passa aqui.
A iluminação e a montagem dos vídeos são muito bons, mas a musica é má e elas não tem classe nenhuma. A evitar, principalmente pelo mau exemplo que dá a mentes mais impressionáveis.